RS participa do Dia Nacional de Mobilização contra o mosquito Aedes aegypti

md_20161202113438img_0080
A Secretaria da Saúde divulgou os números atualizados das doenças transmitidas pelo mosquito no Rio Grande do Sul – Foto: Luiz Chaves/Palácio Piratini

No Dia de Mobilização Nacional para o combate ao mosquito Aedes aegypti, a Secretaria da Saúde divulgou uma atualização dos números de casos confirmados de dengue, zika e chikungunya no Rio Grande do Sul. Até a última semana de novembro, foram confirmados 2.430 casos de dengue, 69 de febre chikungunya e 85 de zika vírus. O governador José Ivo Sartori e o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, participaram, nesta sexta-feira (2), da reunião do Comitê Estadual Intersetorial, onde também ocorreu uma videoconferência com o presidente Michel Temer.

Devido à chegada do verão, o governador José Ivo Sartori reforçou a necessidade de integração e participação da comunidade e dos governos federal, estadual e municipal, entidades e iniciativa privada para prevenir a proliferação do mosquito.

“Hoje, precisamos mobilizar as famílias para este assunto de utilidade pública. Precisamos da união de todos que fazem parte do comitê para acabar com os focos do mosquito no estado. Quando há o envolvimento de toda a comunidade em uma causa pública, tudo pode dar certo e os resultados já são positivos”, disse.

Para o secretário da Saúde, João Gabbardo dos Reis, “esse é um processo difícil e complicado que exige uma série de tecnologias e especialidades para se fazer avaliação e investigação das causas possíveis de infecção”. Gabbardo alertou também para a importância das prefeituras darem continuação às ações de combate ao mosquito, ainda que na troca da administração após as eleições municipais.

Em todo território nacional, houve diminuição de 5% dos males transmitidos pelo mosquito Aedes aegypti. A participação dos municípios brasileiros na campanha chega a  27?, adesão maior que em 2015, segundo o presidente da Michel Temer.

“Esta é uma busca pela eficiência administrativa e uma luta incessante. A eliminação dos focos e ações serão realizadas todos os dias e preferencialmente às sextas-feiras. Esperamos ainda que alcancemos envolvimento de 100% dos municípios na campanha”, ressaltou o presidente.

“Comparando este ano a 2015, foram investidos R$ 590 milhões na campanha de combate ao mosquito e em ações por todo país para aprimorar tecnologias e aumentar a participação da sociedade civil. Ações sanitárias são necessárias para vencer essa guerra”, complementou o ministro Ronaldo Nogueira.

Números das doenças transmitidas pelo mosquito

O número de casos notificados de dengue foi maior em relação ao ano passado, com o dobro de casos confirmados. Das 2.430 confirmações em 106 municípios durante o ano de 2016, 2.154 (89%) dos casos foram contraídos no no estado e 182 (7%) importados e 94 (4%) aguardam definição de Local Provável de Infecção (LPI). A maior concentração é na região noroeste.

A febre chikungunya, maior preocupação para o Rio Grande do Sul por causa de uma tendência nacional de aumento de casos, teve 69 casos confirmados, dos quais 3 foram contraídos em em Ibirubá, Alegrete e Ijuí.

Nas infecções por zika vírus, foram confirmados 85 casos, sendo 44 autóctones, das cidades de Frederico Westphalen, Santa Maria, Ivoti, Rondinha, Novo Hamburgo, Canoas, Porto Alegre, Ijuí, Santo Ângelo e Caxias do Sul. A microcefalia causada pelo vírus teve apenas dois casos registrados, ambos adquiridos fora do estado. Outros 172 casos foram notificados, sendo que 39 estão em investigação, 16 foram confirmados com maioria sem ligação com o vírus, e mais 117 descartados.

O Ministério da Saúde repassou, para o estado, três veículos para serem usados pelos agentes de sáude no combate ao mosquito.

Mais informações podem ser acessadas aqui.

Escolas estaduais terão gincana para estimular combate ao mosquito

Também nesta sexta-feira, a Secretaria da Educação lançou uma gincana entre escolas da rede estadual de educação como estratégia de combate ao mosquito Aedes aegypti. Alunos e professores são convidados a participar de atividades preventivas. Kits de material esportivo serão distribuídos como prêmios.

“As crianças têm grande poder de mobilizar as famílias e essa é nossa contribuição para erradicar ou diminuir a incidência de casos das doenças transmitidas pelo mosquito. Em uma primeira etapa, elaboramos um tema de casa para que fizessem levantamento dos focos e discussão em sala de aula. Agora, cada escola pode montar sua equipe para atacar o mosquito”, explica o secretário da Educação, Luís Antônio Alcoba.

As inscrições para a gincana começam nesta segunda-feira (5) e as atividades serão realizadas a partir do dia 23 de dezembro e vão até maio de 2017.

Assista a reportagem aqui.

Texto: Letícia Bonato
Edição: Denise Camargo/Secom

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s