Os replicantes de Ridley Scott

Em 2012, muitas obras memoráveis do cinema comemoram aniversário de lançamento. Entre elas, uma das primeiras ficções científicas do diretor de “Prometheus”, Ridley Scott:Blade Runner – O Caçador de Andróides, estrelando Harrison Ford (Indiana Jones) e Daryl Hannah (Kill Bil).

Baseado no livro “Androids Dream of Electric Sheep?”, de Phillip K. Dick, o filme apresenta uma sociedade do futuro, em Los Angeles, no início do século XXI. Andróides, uma cidade suja e em meio a muita tecnologia, como muitos outros filmes dos anos 80. Mas o diferencial de Blade Runner, em meio a outros filmes com a temática futurista da década, é que essas criações do homem, os robôs idênticos aos humanos chamados de replicantes, se tornaram uma ameaça à sociedade.

Os replicantes eram usados como escravos, ajudando os habitantes da Terra a colonizarem outros planetas, pois eram mais ágeis, mais fortes e mais inteligentes do que os seres humanos. E, justamente por serem dotados de uma inteligência superior, ao causarem um motim, alguns conseguiram escapar de volta à Terra,  rebelando-se assim contra seu próprio criador, o homem. Desde então, eram caçados por agentes especiais – os Blade Runners – que tinham a missão de matá-los.

Harrison Ford, na pele do policial Rick Deckard, entra no contexto do filme procurando entender e assumir sua missão: exterminar os andróides ilegais. Entretanto, aos poucos se vê envolvido com uma replicante, Rachael, que acaba influenciando o agente em suas decisões.

O posicionamento do espectador ao assistir o filme se torna incerto, uma vez que assim como o agente Deckard, nos vemos atentos e curiosos sobre os humanóides. Além de também entrarmos em um jogo, onde somos obrigados a pensar sobre o direito do homem em matar uma criatura tão similar a ele, fruto da sua própria evolução.

Ainda que seja um dos primeiros filmes de ficção científica do diretor Ridley Scott, não alavancou grandes bilheterias quando foi lançada. O filme veio a ser cultuado pelo público alternativo, pela perplexidade do enredo. Atualmente, há chances de conferirmos ainda uma segunda parte da estória, mas o roteiro não começou a ser elaborado. Apesar disso, circula na internet que Ridley Scott já lançou spoilers sobre uma das cenas que terá no longa.

Texto publicado em: UNIPAUTAS e O DILÚVIO

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s